Dólar fecha no menor nível em um mês em dia de reforma administrativa

Agência Brasil – No dia em que a proposta de reforma administrativa chegou ao Congresso Nacional, o dólar fechou no menor nível em um mês e teve o melhor desempenho entre as principais moedas do planeta. O dólar comercial encerrou esta quinta-feira (3) vendido a R$ 5,291, com recuo de R$ 0,026 (-1,27%). A cotação

Reforma fundamental é a que abre espaço no teto, diz Campos Neto

Por Gabriel Ponte e Marcela Ayres BRASÍLIA (Reuters) – O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, afirmou nesta quinta-feira que a reforma fundamental é a que abre espaço para despesas mantendo o respeito à regra do teto de gastos, defendendo novamente o mecanismo como âncora da política fiscal. Em live com o empresário Abilio

Dólar recua ante divisas principais, com dados, Fed e covid-19 no radar

O dólar caiu ante outras moedas principais nesta quinta-feira, 3, sem muito impulso após ganhos recentes. Em dia de fortes perdas nos mercados acionários de Nova York, investidores monitoraram indicadores, declarações de dirigentes do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) e a pandemia da covid-19 e seus riscos para a atividade. No fim da

BC mudará o nome de open banking para open finance, diz Campos Neto

BRASÍLIA (Reuters) – O Banco Central mudará o nome do seu projeto de open banking para open finance, uma vez que o sistema abarcará todos os produtos financeiros, afirmou nesta quinta-feira o presidente da autarquia, Roberto Campos Neto. Em live com o empresário Abilio Diniz, Campos Neto disse ainda que o open banking do Brasil

No curto prazo, volatilidade cambial não afeta tanto investidor, diz Campos Neto

BRASÍLIA (Reuters) – O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, avaliou nesta quinta-feira que a volatilidade cambial não afeta tanto as operações para o investidor no curto prazo, por conta de movimentos compensatórios. “Se a volatilidade está em torno de 1 ponto e você tem muita compra e muita venda, tende a cancelar para

Dólar tem terceira queda seguida e cai a R$ 5,29 com reforma administrativa

O real teve novo dia de fortalecimento, operando novamente descolado das moedas emergentes, que nesta quinta-feira, 3, se desvalorizaram em sua maioria ante o dólar, e também descolado dos ativos domésticos, com a Bolsa fechando em queda acompanhando a realização de ganhos em Nova York, e o risco-País subindo. O noticiário local positivo, marcado pela

Real tem melhor desempenho mundial com mais ajuste de posições e foco em reformas

Por José de Castro SÃO PAULO (Reuters) – O dólar emendou a terceira queda consecutiva nesta quinta-feira, com operadores prosseguindo com movimento de desmonte de posições compradas na divisa norte-americana ante o real diante da melhora do ambiente doméstico para reformas. O dólar à vista caiu 1,27%, a 5,2906 reais na venda, menor patamar desde

Dólar acelera queda com sinais de melhora da economia local e reforma

O dólar acelerou a queda até a mínima de R$ 5,2902 (-1,26%) no mercado à vista há pouco. O ajuste espelha a continuidade do desmonte de posições defensivas em meio a sinais de melhora de economia brasileira, após os dados de produção industrial em linha com o esperado e o avanço do PMI composto acima