Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

À espera de Copom, dólar cai a mínima desde julho em dia de Fed

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar fechou em queda ante o real nesta quarta-feira e renovou mínima desde o fim de julho, com as operações domésticas replicando dia positivo para moedas emergentes em geral, enquanto investidores analisaram decisão de política monetária nos Estados Unidos e ainda aguardam parecer sobre os juros no Brasil mais tarde.

O dólar à vista caiu 0,91%, a 5,2406 reais na venda. É o menor nível desde 31 de julho (5,2185 reais).

A moeda operou em queda durante todo o dia, oscilando entre 5,276 reais (-0,24%) e 5,211 reais (-1,47%).

A mínima intradiária foi atingida após o Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA) anunciar manutenção dos juros entre zero e 0,25% e dizer que vai tolerar inflação moderadamente acima da meta de 2% para permitir maior crescimento do mercado de trabalho.

Mas o dólar deixou os patamares mais baixos conforme o chair do Fed, Jerome Powell, falava em coletiva de imprensa –no que foi considerado uma de suas piores comunicações. Powell voltou a destacar a necessidade de mais estímulo fiscal para que se tenha plena recuperação da economia, num momento em que o Congresso dos EUA segue com negociações paradas sobre novo pacote de auxílio.

“Quanto mais dovish (inclinado a estímulo monetário) for o Fed, menos provável que o Congresso se comprometa (com novo estímulo)”, comentou o conselheiro econômico principal da Allianz (DE:ALVG), Mohamed A. El-Erian.

Aqui, o foco se volta para a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de mais tarde, com expectativa do mercado de juros estáveis em 2% ao ano, mínima recorde.

“Se o Banco Central não apresentar mudanças inovadoras em sua comunicação, o que também parece ser o cenário-base do mercado, esperamos ver impacto limitado nos preços dos juros e do câmbio”, disseram analistas do Citi.

“Em contraste com as reuniões recentes, não esperamos que o real tenha desempenho inferior (depois da decisão), devido a nossa visão de que a comunicação (do Copom) irá destacar trajetória estável para a Selic”, concluíram.

Segundo alguns analistas, a desvalorização do dólar nesta sessão também pode ter tido a ver com desmonte de posições compradas na moeda dos EUA que funcionavam como proteção a aplicações em bolsa.

A queda simultânea no dólar e no Ibovespa estaria relacionada justamente à expectativa de sinalização de fim do processo de afrouxamento monetário. Juro baixo beneficia o mercado acionário e torna o hedge via dólar mais barato, estimulando o “trade” compra de bolsa/compra de dólar.

O Ibovespa caiu 0,52% nesta quarta, conforme dados preliminares.

As baixas dos juros a sucessivas mínimas recordes são apontadas como um dos principais fatores para explicar a depreciação do real em 2020 –de 23,43% ante o dólar, a mais intensa entre as principais divisas–, num contexto de incertezas sobre crescimento econômico sustentável e retomada crível da agenda de reformas.

Fonte: Read More

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.