Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Bolsonaro diz que câmbio foi tratado em reunião ministerial, mas que não iria adiantar “algo privilegiado”

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

(Reuters) – O presidente Jair Bolsonaro disse no início da noite desta terça-feira que o tema dólar foi discutido “um pouco” em reunião ministerial de mais cedo, mas que não poderia comentar sobre o assunto porque estaria adiantando algo “privilegiado”, o que “prejudicaria” o mercado, deixando em aberto se o governo está avaliando medidas para o mercado de câmbio.

“Não posso falar em dólar porque é informação sensível, e eu estaria adiantando aqui algo privilegiado, que prejudicaria o mercado”, disse Bolsonaro a jornalistas.

“Mas eu não vou entrar em detalhes para vocês porque, assim como na reunião de 30 dias atrás, essa que foi analisada hoje tinha informações sensíveis”, afirmou Bolsonaro sobre a reunião do conselho de ministros nesta terça.

O comentário do presidente sobre câmbio veio em resposta a uma pergunta sobre a avaliação dele a respeito da alta do dólar nesta sessão, após revelações de conteúdo de vídeo da reunião ministerial do dia 22 de abril –a mesma citada pelo ex-ministro Sergio Moro ao acusar Bolsonaro de tentativa de interferência política na Polícia Federal.

O mercado reagiu às informações sobre o conteúdo do referido vídeo, e o dólar, que começou o dia em baixa, passou a subir com as notícias e fechou esta terça em novo recorde histórico, a 5,8657 reais na venda. [nL1N2CU283] [nL1N2CU2OY]

A moeda norte-americana (BRBY) tem operado sob forte pressão de alta neste ano, intensificada nas últimas semanas pelo recrudescimento de tensões políticas. Em 2020, a alta do dólar é de 46,17%.

O movimento tem levado o Banco Central a fazer atuações no mercado de câmbio. Ainda assim, alguns analistas têm adotado tom mais crítico em relação ao que consideram ser uma postura mais branda do BC em relação à intensidade da desvalorização cambial.

O mais recente ponto de discórdia de alguns no mercado veio da decisão do BC de aprofundar o corte de juros na semana passada –que acelerou a depreciação do real.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu nos últimos meses que o patamar do câmbio é mais depreciado.

Alguns no mercado avaliam que a aparente menor preocupação com a alta do dólar combinada com vendas de reservas cambiais pelo BC e a intensificação de corte de juros pode ser parte de uma estratégia de redução da dívida pública, num momento em que o país vê deteriorada a percepção sobre as contas públicas.

(Por José de Castro e Gabriel Ponte)

Fonte: br.investing.com

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.