Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar avança contra real após rebaixamento de perspectiva do Brasil pela Fitch; mercados aguardam Copom

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar ampliava a alta contra o real a cerca de 1% na manhã desta quarta-feira, dia de divulgação da decisão de política monetária do Banco Central, com os investidores nervosos em meio a tensões políticas domésticas e após rebaixamento da perspectiva de rating do Brasil pela agência Fitch.

Enquanto isso, no exterior, uma perda recorde nos empregos do setor privado nos Estados Unidos também colaborava para a aversão a risco.

Às 10:33, o dólar avançava 0,95%, a 5,6435 reais na venda, enquanto o dólar futuro tinha alta de 1,16%, a 5,655 reais. Na máxima do dia, a divisa norte-americana à vista foi a 5,6574 reais.

Na terça-feira, após o fechamento dos mercados locais, a agência de classificação de risco Fitch Ratings informou ter revisado para “negativa” a perspectiva para a nota de crédito soberano do Brasil, com deterioração econômica e fiscal, notícia que impulsionava a aversão a risco nos mercados locais.

“Segundo a agência, a revisão da perspectiva para negativa reflete riscos negativos associados a ambas, devido a tensões políticas e incertezas quanto à duração e intensidade da pandemia”, explicou em nota o Itaú BBA, citando preocupações sobre impactos na vulnerabilidade do país a choques.

Segundo a Infinity Asset, o rebaixamento pode significar que o pior ainda está por vir: “outras agências tendem a seguir diretrizes ainda mais duras para as próximas classificações de risco.”

Ao mesmo tempo em que reagiam à mudança na perspectiva da nota do Brasil, os mercados aguardavam o resultado da reunião de política monetária do Copom, com ampla expectativa de corte da Selic a nova mínima histórica de 3,25%.

Analistas citaram a perspectiva de outra redução como fator de pressão sobre o real, uma vez que juros menores prejudicam o rendimento de ativos locais atrelados à Selic, tornando o Brasil menos atraente para o investidor estrangeiro quando comparado a países de risco semelhante e maior rentabilidade.

Além disso, amargando o sentimento nos mercados internacionais, dados desta quarta-feira mostraram que os empregadores do setor privado dos Estados Unidos demitiram um recorde de 20,236 milhões de trabalhadores em abril, depois que o fechamento obrigatório dos negócios em resposta ao surto de coronavírus devastou a economia.

No exterior, divisas arriscadas, como rand sul-africano e peso mexicano apresentavam queda contra o dólar.

O dólar spot fechou a sessão anterior em alta de 1,23% contra o real, a 5,5902 reais na venda. Apenas em 2020, a divisa acumula ganhos de quase 40%.

Nesta quarta-feira, o Banco Central ofertará até 10 mil contratos de swap cambial tradicional com vencimento em setembro de 2020 e janeiro de 2021.

Fonte: Investing.com

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.