Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar cai 1,2% e devolve alta da véspera com apetite por risco no exterior

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar fechou em firme baixa ante o real nesta quarta-feira, mais do que devolvendo os ganhos da véspera, com o mercado de câmbio replicando o dia de fraqueza global da moeda norte-americana em meio à recuperação do apetite por risco.

O dólar à vista caiu 1,23%, a 5,3000 reais na venda, depois de alta de 1,09% na sessão anterior.

É a maior queda percentual diária desde a quinta-feira passada, dia 3 (-1,27%).

Na B3 (SA:B3SA3), o dólar futuro de maior liquidez tinha queda de 1,16%, a 5,3040 reais, às 17h21.

O real esteve entre as divisas de melhor desempenho na sessão, junto com peso mexicano, rand sul-africano e peso chileno, em um dia de retorno da demanda por ativos mais arriscados, o que empurrou para cima as ações em Wall Street e os preços do petróleo.

Mesmo a notícia de que a AstraZeneca havia suspendido testes globais com sua potencial vacina contra o coronavírus, devido a reação em um participante do estudo, não abalou o mercado nesta sessão e foi entendida por alguns players como evidência de que governos e bancos centrais precisarão continuar injetando liquidez no sistema financeiro para debelar a crise causada pela pandemia.

No Brasil, o mercado seguiu atento à agenda de reformas fiscais, mas avaliou com cautela a postura do governo diante de elevações nos preços de alguns alimentos.

Em agosto, o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) registrou alta de 0,24%, maior variação positiva para o mês de agosto desde 2016, em meio a forte pressão dos preços da gasolina e de alimentos, informou nesta quarta-feira o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Em tese, inflação dando sinais de volta, especialmente num contexto de retomada econômica, ajuda a reduzir apostas em novos cortes de juros pelo Banco Central, o que é positivo para o real.

A queda dos juros a mínimas recordes minou a atratividade do “carry trade” (operações de arbitragem envolvendo câmbio e renda fixa) no Brasil, o que pressionou o real e contribuiu para levar o dólar a máximas perto de 6 reais em maio.

Na avaliação de Agustin Sicouly, chefe de câmbio para a América Latina do Barclays (LON:BARC), o juro baixo ainda limita chances de recuperação mais expressiva para o real neste ano, mas a moeda pode se beneficiar de uma melhora econômica e da retomada da agenda de reformas.

Com isso, em seu cenário, o dólar poderia voltar a testar níveis próximos de 5 reais em 2021, depois de ficar até o fim de 2020 perto dos atuais patamares.

“Se o Brasil sustentar um crescimento mais forte, vai ficar mais evidente que os ‘hedges’ no câmbio não vão valer mais a pena, e isso estimularia mais desmonte de posições contrárias ao real, ajudando a moeda a se recuperar mais”, afirmou o profissional.

Em estudo, o Bradesco (SA:BBDC4) avaliou que a volatilidade do real, entre as maiores do mundo, está “muito atrelada” ao cenário global de ainda elevada aversão ao risco e a incertezas quanto à política fiscal doméstica, mas ponderou que o país pode atrair recursos mesmo a Selic baixa.

“Com redução das incertezas fiscais e a retomada do crescimento, o país volta a se tornar atrativo para os fluxos de portfólio, mesmo em um ambiente de juros domésticos ainda baixos”, disse o banco em nota.

Fonte: br.investing.com

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.