Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar recua a R$ 5,3677 com visão de alívio fiscal

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Após um dia de estresse ontem, que levou o dólar a subir perto de 2%, o mercado de câmbio devolveu nesta quinta-feira, 13, em cotação e a divisa americana, que fechou a R$ 5,3677, voltou para a proximidade da cotação do último dia 6 de agosto (R$ 5,3432). No exterior, o moeda dos Estados Unidos teve comportamento misto, mas perdendo valor frente a outras relevantes como o rublo e peso Mexicano. O movimento de realização deixou o mercado de câmbio praticamente descolado dos outros, como acionário e de juros futuros, onde prevaleceu a direção negativa no exterior e os receios ainda com a questão de descontrole de gastos públicos.

“Ontem o BC só interveio ontem porque uma alta perto de 2% não cheira a consistência de subida, mas de especulação. Isso explica porque está devolvendo hoje nessa magnitude. Tanto que, do pico de ontem, em R$ 5,49, para a mínima de hoje, R$ 5,35, são R$ 0,14”, disse Reginaldo Galhardo, gerente de câmbio da Treviso Corretora.

Para ele, houve alívio com as declarações conjuntas dos chefes dos Poderes Executivo e Legislativo, ontem à noite, com a fala dos presidentes da República, Jair Bolsonaro, da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), e do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP).

Muito embora tenha retroagido hoje, o gerente ressalta que o dólar tem estado mais alto, precificando uma insegurança implícita há algum tempo. Nesse sentido, diz, há dois ranges que estão sendo seguidos. A faixa estreita e mais comum, com cotações entre R$ 5,25 a 5,35, e a mais larga entre R$ 5,10 e R$ 5,40.

Na avaliação de Alexandre Almeida, economista da CM Capital, não apenas essa semana como nas anteriores, o mercado tem se pautado pela preocupação maior com lado fiscal. “Mas, hoje, essa posição mais incisiva de Guedes mostrando comprometimento maior do governo com o teto de gastos ajudou”, disse, ressaltando que a posição do ministro mostrou que consegue trazer para a sua órbita o Legislativo em prol da condução de expectativas que possam ser positivas para o quadro fiscal. “A reação do câmbio foi de uma minimização do risco que estava se acelerando.”

Fonte: Read More

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.