Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar recua ante real após Guedes tranquilizar mercados sobre seu cargo e teto de gastos

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar à vista abandonou a firme queda de mais cedo e tinha variações discretas na tarde desta terça-feira, refletindo dúvidas sobre o cenário fiscal e político depois que o ministro da Economia, Paulo Guedes, abafou boatos sobre sua demissão.

O dólar spot caía 0,20%, a 5,4860 reais, depois de chegar a recuar 1,35%, a 5,4215 reais.

O contrato mais negociado de dólar futuro recuava 0,46%, a 5,4860 reais, às 15h07.

Ao final de uma segunda-feira marcada por rumores sobre sua saída do governo, o ministro Paulo Guedes afirmou que a confiança entre ele e o presidente Jair Bolsonaro é recíproca e também reforçou seu compromisso com o teto de gastos, dizendo que, diante da vontade da administração de investir em obras públicas, seu papel é alertar sobre as limitações colocadas pela Lei de Responsabilidade Fiscal.

Além disso, o presidente Bolsonaro disse à CNN Brasil que a saída do ministro nunca foi cogitada e que a chance de furar o teto de gastos é zero.

“Depois foi afirmado que o Guedes fica, que ele e Bolsonaro ficarão juntos no governo até o final, e aí o mercado abriu precificando (o dólar) para baixo. Mas logo vêm as novas perguntas: será que o Guedes está mesmo firme como está sendo afirmado? Ele vai cumprir a meta fiscal mesmo? Começam rumores”, pontuou Vanei Nagem, da Mesa de Câmbio da Terra Investimentos, lembrando da forte pressão sobre o mercado de câmbio percebida na véspera.

Na segunda-feira, o dólar fechou em alta de 1,26%, a 5,4959 reais na venda, uma máxima em quase três meses.

Segundo Nagem, uma leve piorada no sentimento global também foi um fator que motivou a recuperação da moeda norte-americana ante o real.

No exterior, peso mexicano e lira turca, duas moedas pares do real, passavam a rondar a estabilidade contra o dólar, depois de terem registrado altas mais acentuadas no início do dia. Contra uma cesta de divisas fortes, o dólar apresentava fraqueza, mantendo tendência de queda vista desde julho em meio a dúvidas sobre a recuperação econômica dos Estados Unidos.

Além das crescentes tensões entre EUA e China após decisão do presidente Donald Trump sobre a Huawei, a corrida eleitoral norte-americana também estava no radar dos mercados internacionais.

Apesar de ter deixado para trás níveis recordes próximos a 6 reais em maio, o dólar ainda acumula alta de 37,2% contra o real em 2020 em meio a tensões políticas, incertezas econômicas e um cenário de juros baixos.

“A questão dos juros é sempre aquela: juros para baixo, dólar para cima”, disse Vanei Nagem. “Mas não são só os juros que deixaram o dólar nesse nível. Também temos uma economia fraca, gastos públicos altos, frustação sobre privatizações… há um pacote de motivos.”

Neste pregão, o Banco Central fez leilão de 12 mil contratos de swap cambial para rolagem com vencimentos divididos entre março e julho de 2021, em que vendeu o total da oferta.

Fonte: br.investing.com

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.