Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar recua ante rivais com falta de acordo por pacote fiscal nos EUA

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

O dólar deu prosseguimento ao movimento de queda, em meio ao entrave nas negociações entre a Casa Branca e lideranças democratas no Congresso por uma nova rodada de estímulos fiscais nos Estados Unidos.

No final da tarde em Nova York, o dólar caía a 105,61 ienes, depois que o presidente do Banco do Japão (BoJ), Kuroda, afirmou que a economia do país deve melhorar gradualmente até o final do ano. Já o euro subia a US$ 1,1866 e a libra avançava a US$ 1,3118, à espera da decisão de política monetária do Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês), marcada para manhã. Conforme destaca reportagem do Broadcast, a autoridade monetária não deve cortar juros.

Já o índice DXY, que calcula a variação da divisa americana frente a uma cesta de seis rivais fortes, cedeu 0,55%, a 92,868 pontos, no menor nível desde maio de 2018.

O secretário do Tesouro americano, Steven Mnuchin, teve hoje mais um dia de intensas conversas com a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, e o líder democrata no Senado, Chuck Schumer. O senador garantiu que progressos estão sendo feitos, mas ponderou que os principais impasses seguem intactos.

A oposição quer manter o valor do benefício para desempregados em US$ 600, enquanto o governo acredita que isso pode desencorajar trabalhadores a voltarem a buscar emprego. Segundo o senador republicano Roy Blunt, os representantes governistas já sinalizaram que, se um acordo não for firmado até sexta-feira, as negociações serão suspensas.

Caso isso ocorra, o presidente americano, Donald Trump, disse que pode agir de forma unilateral, por meio de decretos executivos. Em entrevista hoje à Fox News, o republicano sugeriu que estuda a possibilidade de implementar cortes de impostos na folha de pagamento dessa maneira.

Para o analista Joe Manimbo, a falta de um entendimento sobre o pacote deve prejudicar a moeda dos EUA. “Uma camada ainda mais grossa de incertezas econômicas está empurrando o dólar para baixo”, explica.

Apesar da sequência de indicadores econômicos positivos, a pesquisa ADP decepcionou ao calcular criação de 167 mil empregos em julho, muito menos que o esperado por analistas consultados pelo The Wall Street Journal, de criação de 1 milhão de empregos.

“Os sinais iniciais de uma desaceleração na recuperação do mercado de trabalho nos EUA acrescentaram dúvidas, e não é de surpreender que investidores especulativos impondo cada vez mais perdas ao dólar neste momento”, analisa o ING.

Ante a maior parte das moedas emergentes e ligadas a commodities, o dólar perdeu força, em meio ao avanço das cotações do petróleo. No final da tarde em Nova York, a divisa americana caia a 1,3277 dólares canadenses, a 22,3839 pesos mexicanos e a 72,5838 pesos argentinas. Sobre acordo firmado com credores privados, matéria do Broadcast destaca que o governo da Argentina deu um importante passo, mas que analistas ressaltam que mais terá que ser feito.

Ante a lira turca, contudo, o dólar avançava a 7,0494 liras, após dados de julho apontarem para a desaceleração da inflação.

Fonte: Read More

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.