Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar ronda estabilidade ante real à espera da ata do Fed

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Por Luana Maria Benedito

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar era negociado em alta moderada contra o real nesta quarta-feira, ganhando força no fim da manhã conforme a moeda tomava fôlego também no exterior, com investidores voltando as atenções para a divulgação às 15h (de Brasília) da ata da reunião de política monetária do Federal Reserve, em busca de pistas sobre o futuro da economia norte-americana.

Às 12:07, o dólar avançava 0,38%, a 5,4892 reais na venda, enquanto o dólar futuro de maior liquidez (DOLc1) tinha valorização de 0,40%, a 5,4930 reais.

“O foco se volta hoje (…) à ata da última reunião do Fomc e à leitura do quanto a autoridade monetária estaria disposta a continuar injetando liquidez nos EUA. Aparentemente, é muito”, comentaram analistas da Infinity Asset em nota.

O índice do dólar contra uma cesta de moedas no exterior acelerava a alta para cerca de 0,4%, indo às máximas da sessão. Moedas pares do real, porém, tinham um dia de ganhos, enquanto a divisa brasileira tinha o pior desempenho entre rivais do mundo emergente.

No radar dos investidores também estavam as tensões crescentes entre Estados Unidos e China, depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, disse a repórteres que adiou negociações com o país asiático devido à sua frustração diante da forma como Pequim lidou com a pandemia de coronavírus.

Além desse fator, a paralisação das conversas sobre um pacote de estímulo no Congresso dos EUA também pode voltar a pressionar divisas arriscadas, como o real, segundo vários analistas.

Aqui, o tema fiscal segue como o de maior preocupação do mercado. Mesmo depois de o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Economia, Paulo Guedes, terem abafado rumores sobre uma possível ruptura entre ambos, investidores seguiam temerosos sobre o rumo do teto de gastos e da agenda de controle de despesas públicas.

Boatos de que Guedes deixaria o governo abalaram os mercados no início da semana, levando o dólar –que já repercutiu em 2020 a demissão de Sergio Moro do cargo de ministro da Justiça– a uma máxima em quase três meses.

Apesar do alívio momentâneo, alguma cautela permanece entre os agentes do mercado, o que chegou a pressionar o real temporariamente no pregão da véspera. “Ainda que soe positiva, tal situação já foi observada em outros ministros antes, portanto continua a demandar atenção redobrada dos investidores”, disse a Infinity em nota.

Em sessão volátil, o dólar spot fechou a terça-feira em queda de 0,50%, a 5,4685 reais na venda, longe das mínimas da sessão.

Segundo pesquisa do Bank of America com gestores de fundos, a deterioração fiscal foi citada por 67% dos respondentes como o maior risco de cauda para o Brasil, seguida por ruído político (selecionado por 15%) e pelo coronavírus (8%).

Uma porcentagem de 59% espera que o dólar fique abaixo de 5,30 reais ao fim do ano, contra 56% na sondagem feita no mês passado.

Fonte: Read More

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.