Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar segue em baixa com alívio por ‘união’ pelas reformas e exterior positivo

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

O dólar segue em baixa mais moderada no mercado doméstico nesta terça-feira. Investidores precificam os sinais de “união” entre Paulo Guedes e Rodrigo Maia, ontem à noite, para fazer andar as reformas e a agenda econômica no Congresso Nacional, e um apetite por risco leve e viés de baixa da moeda americana no exterior.

Lá fora, persiste impasse sobre novos estímulos fiscais e investidores estão atentos à saúde do presidente Donald Trump, que segue em tratamento da covid-19 na Casa Branca – mas já está a todo vapor sua campanha virtual à reeleição. Desagrada a manutenção da postura negacionista de Trump sobre a doença. Ontem, ele pediu a apoiadores, em suas redes sociais, para “não terem medo”.

Já a presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, disse que as conversas sobre estímulos estão avançando “muito lentamente”, mas que fará nova reunião com o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, hoje. Há ainda expectativa pelo discurso do presidente do Federal Reserve (Fed), Jerome Powell, agendado para 11h40.

Limita a baixa do dólar ante o real também, segundo operadores, a indefinição das fontes de recursos para bancar o programa Renda Cidadã, que deve substituir o Bolsa Família. Apesar do acordo político para tentar acelerar as medidas econômicas do governo, os agentes querem ver quais ações podem ser tomadas para financiar a ampliação do programa social e se podem representar risco ao teto de gastos.

No exterior, a libra ampliou as perdas ante o dólar após a Bloomberg informar que a União Europeia não tem planos de oferecer mais concessões ao primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, após o Brexit. Já os futuros do Dow Jones e S&P500 em Nova York sobem, mas Nasdaq recua, acompanhando o avanço discreto nos mercados europeus, após declarações “dovish” da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde.

Às 9h29 desta terça-feira, o dólar à vista caía 0,70%, a R$ 5,5288. O dólar para novembro recuava 0,82%, a R$ 5,5335
Fonte: br.investing.com

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.