Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar sobe ante real com investidor na defensiva em meio a receios sobre Covid-19

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar começou a semana em alta ante o real, depois de chegar a cair no início do pregão desta segunda-feira, com a moeda acelerando os ganhos na parte da tarde à medida que os mercados externos pioraram o sinal.

Por volta de 15h, o dólar ampliou os ganhos ante o real conforme a moeda no exterior também tomava fôlego. Ao mesmo tempo, o Ibovespa e o índice S&P 500, da Bolsa de Nova York, passaram a ser alvejados por vendas. Veja gráfico abaixo:

Mas o real já estava entre as divisas de pior desempenho desde cedo, seguindo um dia mais fraco para pares latino-americanos, diante de perspectivas mais incertas para a região por causa da crise do Covid-19.

O dólar à vista subiu 1,21%, a 5,388 reais na venda.

Na B3, o dólar futuro tinha alta de 1,22%, a 5,3935 reais, às 17h14.

O real dividiu com o peso mexicano o posto de moeda com pior desempenho global na sessão, e ambos eram seguidos por peso argentino e, um pouco mais atrás, por peso colombiano.

“Seguimos com liquidez menor, o que deixa o mercado suscetível a essas mudanças de variação”, disse Fernando Bergallo, sócio da FB Capital. Em patamar em torno de 1 bilhão de dólares, a média de 21 dias do volume de câmbio contratado no mercado físico está perto de mínimas desde setembro de 2018 e entre a média diária mais fraca em uma década.

Segundo contagem da Reuters, o número de mortes por coronavírus na América Latina superou o de óbitos registrados na América do Norte pela primeira vez desde o início da pandemia. Em todo o mundo, os casos registrados de Covid-19 ultrapassaram 13 milhões nesta segunda-feira. Também nesta segunda, a agência de classificação de risco S&P Global cortou as previsões para as economias de mercados emergentes, com a América Latina sofrendo a maior redução nas estimativas. A pandemia tem se mantido resiliente em países latino-americanos, mas isso não tem impedido que governos reabram as economias. Tal combinação ameaça gerar nova onda de casos potencialmente prejudicial à recuperação da atividade, adiando mais o retorno do investimento estrangeiro. Para o Citi, um “conjunto de evidências” sugere risco “não negligenciável” que o Brasil possa não apenas interromper, mas também potencialmente reverter o processo de abertura em andamento da economia.

Num pior cenário, “o controle da pandemia de Covid-19 no Brasil levará mais tempo, prolongando a crise econômica e exacerbando a deterioração já insustentável das contas fiscais”, disseram analistas do banco em estudo.

A volatilidade no câmbio persistiu nesta segunda-feira. Na máxima, o dólar foi a 5,395 reais, alta de 1,34%, enquanto na mínima cedeu 0,23%, para 5,3115 reais.

Analistas têm chamado atenção para fatores técnicos no câmbio em meio às amplas oscilações. O Credit Suisse cita que o real tem variado em torno dos 5,30 reais recentemente, mas que ainda acredita que a moeda poderá testar de novo a região de 6 reais.

“Estamos buscando uma faixa em níveis mais altos para entrarmos em jogo, com riscos de curto prazo inclinados para um novo teste da atual máxima e da barreira psicológica em 5,9714 reais/6,0000 reais”, disseram estrategistas do banco, vendo a taxa de 4,7558 reais como piso do mercado. O dólar se aproximou de 6 reais em meados de maio. “Abaixo de 4,7558 reais, podemos ver um retorno à média móvel de 200 dias em 4,6522 reais e, em seguida, ao patamar equivalente a 78,6% da retração de Fibonacci e a um forte nível de suporte na casa de 4,4253 reais/4,3386 reais.” Já analistas do DailyForex avaliam que quem quiser se arriscar na venda de dólar deve se apressar. “Se especuladores mantiverem o nível de 5,5000 como guia e quiserem vender dólar/real nos níveis atuais enquanto o par testa uma faixa bastante consolidada, agora é a hora de agir”, disseram. “O rumo do sentimento de risco no mundo é algo difícil de prever. Muitos balanços trimestrais devem começar a ser publicados por empresas norte-americanas nesta semana, o que certamente afetará os mercados globais.”

Fonte: Read More

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.