Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar tem maior alta semanal desde maio com noticiário político doméstico e receios sobre Covid-19

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar fechou em firme queda ante o real nesta sexta-feira, com investidores aproveitando o declínio da moeda no exterior para realizar lucros depois de um rali da cotação ao longo desta semana.

O dólar à vista caiu 0,99%, a 5,3182 reais na venda. A moeda oscilou entre alta de 0,21%, a 5,3830 reais, e queda de 1,54%, para 5,2887 reais.

Na semana, a divisa subiu 5,41%, maior alta desde a semana finda em 8 de maio (+5,56%), em meio a um noticiário político local ainda tenso. Até a véspera, o ganho era ainda mais forte, de 6,46% em apenas quatro sessões.

Em junho, o dólar cai 0,42%. Em 2020, salta 32,53%.

O dólar foi às máximas do dia perto das 11h, teve breve alívio na sequência para depois voltar a ganhar força por volta de 13h.

Em torno de 13h20, a moeda embicou para baixo e passou a bater mínima atrás de mínima, seguindo o enfraquecimento do dólar ante outras divisas emergentes após notícia de que a Apple (NASDAQ:AAPL) voltará a fechar algumas lojas nos Estados Unidos por causa de aumento no número de novos casos de coronavírus no país. A informação reforçou temores sobre efeitos econômicos de uma segunda onda de Covid-19 nos EUA e corroborou recentes falas de membros do Fed de que provavelmente serão necessários mais estímulos para ajudar na recuperação da economia norte-americana.

O dólar cedia 0,7% ante o peso mexicano no fim da tarde, 1% contra o rand sul-africano e também 0,7% comparado ao rublo russo. A alta das commodities ajudou nesse movimento.

O Bank of America revisou recentemente a projeção para o dólar no fim do ano de 5,85 reais para 5,40 reais, citando justamente a política monetária “extremamente expansiva” nos EUA e na Europa. Mas analistas do banco ponderam que a decisão de juros do Fed neste mês provavelmente marcou o fim do rali de ativos de risco, com expectativas de que as moedas comecem a refletir maior prêmio de risco em linha com a deterioração dos fundamentos.

E para Roberto Serra, gestor sênior na Absolute Investimentos, o movimento do real nesta semana mostra que as forças de depreciação para a divisa brasileira ainda estão presentes. “Vejo o real em tendência de piora, seja pela curva de juros, pela situação do Brasil como um todo, seja pelo fiscal”, afirmou. “Não acho que seja o caso de uma depreciação forte em pouco tempo, mas de uma tendência de perda de valor ao longo do tempo. Com a fotografia de hoje, é difícil pensar no Brasil entrando num ciclo sustentável de crescimento robusto”. O Banco Central cortou a taxa básica de juros, a Selic, em 0,75 ponto percentual na última quarta-feira e sinalizou chance de mais afrouxamento residual. Com isso, o diferencial de juros do Brasil com o mundo tende a diminuir mais, piorando a relação risco/retorno e desestimulando ingresso de capital para renda fixa do país.

No cenário político, a semana foi marcada por uma série de episódios desgastantes para o governo Jair Bolsonaro, incluindo a prisão de Fabrício Queiroz, ex-assessor do filho do presidente Flávio Bolsonaro, a validação do inquérito das fake news pelo Supremo Tribunal Federal e a saída do governo do controverso ministro da Educação, Abraham Weintraub

Fonte: Read More

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.