Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Dólar vira e passa a subir com mercado atento a coronavírus

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar abandonou a queda e passou a mostrar leve alta ante o real no fim da manhã desta terça-feira, acompanhando movimento dos mercados externos e com as atenções voltadas para a saúde de integrantes da equipe econômica e de outros membros do governo após o presidente Jair Bolsonaro informar resultado positivo de teste para o novo coronavírus.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, esteve com Bolsonaro na segunda-feira.

Às 13:15, o dólar avançava 0,34%, a 5,3703 reais na venda.

A alta vinha após queda de 1,17% na mínima da sessão, atingida por volta de 11h30. Mas o dólar seguia longe da máxima do dia, alcançada logo após a abertura, quando chegou a subir 0,95%.

Na B3, o dólar futuro tinha variação positiva de 0,13%, a 5,3720 reais.

O movimento do dólar era ditado pelo exterior, onde a moeda acelerou de forma expressiva os ganhos ante outras divisas de risco. O mercado seguia receoso sobre potenciais impactos econômicos de novos bloqueios em alguns países por causa do salto de casos de Covid-19 nessas regiões.

Lucas Carvalho, analista da Toro Investimentos, disse que o dólar está sem padrão de comportamento e que a moeda vem oscilando nas últimas semanas de forma “lateralizada”. “A moeda pode continuar oscilando perto de um equilíbrio entre 5,49 reais e 5,29 reais. A tendência é não ter movimentos exclusivos”, afirmou.

O dólar tem estado “preso” entre suas médias móveis de 50 e 100 dias desde meados de junho, depois de entrar nessa faixa entre o fim de maio e os primeiros dias de junho.

Análise técnica da XP Investimentos diz que, acima de 5,388 reais, a cotação buscaria 5,513 reais ou 5,986 reais. Os suportes –patamares que o dólar encontra mais dificuldade de superar– estão em 5,133 reais e 4,821 reais.

Mais cedo, o dólar chegou a subir quase 1% na esteira de um dia mais negativo nas praças financeiras globais diante de preocupações relacionadas à Covid-19.

Na véspera, o dólar subiu a despeito do clima mais positivo nos mercados internacionais. Analistas chamaram atenção para o menor volume de negócios e para a retomada do trade “compra de bolsa/compra de dólar”, aproveitando-se do hedge mais barato na esteira da Selic nas mínimas históricas.

O giro no mercado de dólar futuro da B3 ficou na segunda-feira 35% abaixo da média diária das 30 sessões anteriores.

Ainda na segunda, o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse que a expectativa da autoridade monetária é que o que chamou de novo equilíbrio entre juro mais baixo e taxa de câmbio mais desvalorizada tende a persistir no país “durante um tempo”.

(Por José de Castro)

Fonte: Read More

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.