Conheça o WTM Finance! Solicite Fechamento de Câmbio de sua Empresa via WhatsApp

Exterior respalda queda do dólar a mínima desde fim de julho

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email
Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Por José de Castro

SÃO PAULO (Reuters) – O dólar fechou no menor patamar desde o final de julho nesta segunda-feira, caindo cerca de 1%, com investidores imprimindo no câmbio um começo de semana otimista nos mercados globais antes de importantes decisões de política monetária nos próximos dias.

O dólar à vista recuou 1,10%, a 5,2747 reais na venda, menor nível desde 31 de julho (5,2185 reais).

A moeda oscilou entre 5,3244 reais na máxima alcançada pela manhã (-0,16%) e 5,2626 reais na mínima (-1,32%) durante a tarde.

Na B3), o contrato de dólar de maior liquidez cedia 0,83% às 17h05, para 5,2795 reais.

O real esteve entre as moedas de melhor desempenho nesta sessão, acompanhado de outras divisas emergentes sensíveis ao sentimento de risco, como peso mexicano, que subia 1%, e rand sul-africano (+0,6%), entre outras.

A melhora do humor de investidores teve relação com notícias sobre testes para vacina contra a Covid-19. A farmacêutica Pfizer Inc (NYSE:PFE) e a empresa de biotecnologia BioNTech SE propuseram no sábado expandir a Fase 3 de seus testes, e a farmacêutica AstraZeneca informou no fim de semana que havia retomado os testes clínicos britânicos de sua vacina.

Notícias sobre fusões e aquisições também ajudaram a levantar o ânimo de agentes financeiros, no início de uma semana rica em decisões de juros –Brasil, EUA, Japão e Reino Unido atualizam nos próximos dias avaliações sobre suas políticas monetárias.

Aqui, a expectativa é de manutenção da Selic em 2% ao ano, devido ao recente noticiário fiscal que inspirou maior cautela em meio a leituras mais altas de inflação no atacado e à contínua volatilidade nos ativos financeiros.

O mercado financeiro manteve as estimativas para o dólar ao fim de 2020 (5,25 reais) e 2021 (5,00 reais), mas reduziu a projeção para a Selic no término de 2021 de 2,88% para 2,50%, conforme a mais recente pesquisa Focus do BC divulgada mais cedo.

A Selic baixa tem sido citada como uma das causas para a instabilidade no câmbio e também para maior dificuldades do Tesouro Nacional de rolar a dívida pública em meio a um já fragilizado quadro fiscal.

“(No médio prazo) tudo isso (juro baixo) dificulta ainda mais a apreciação do real perante o dólar, uma vez que limita muito o fluxo de capitais estrangeiros para cá”, disse Fernando Bergallo, CEO da FB Capital, citando que o mercado segue vendo dólar pelo menos em 5 reais até o fim do ano que vem.

O dólar fechou 2019 valendo 4,0129 reais. Em 2020, a moeda norte-americana dispara 31,44%, o que faz do real a divisa relevante com pior desempenho no período.

Fonte: Read More

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on skype
Share on email

Fale com um Consultor

Quer ter acesso a materiais gratuitos?

Cadastre-se em nossa Newsletter:

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.

Informe os dados abaixo para receber um diagnóstico sem compromisso direto em seu WhatsApp!

Ligamos pra você!

Informe seus dados de contato para receber a ligação de um dos nossos consultores nos próximos minutos.

  • Este campo é para fins de validação e não deve ser alterado.